Thirty Days – The Ultimate Get Back Sessions Collection

De todas as sessões de gravação dos Beatles, aquela que obteve maior registro foi, sem dúvida, as relativas ao projeto Get Back/Let It Be. E por uma simples razão: eles assim quiseram e se esforçaram para isso. Entre os dias 02/01/1969 e 31/01/1969, o grupo foi impiedosamente filmado pelas câmeras do cineasta Michael Lindsay Hogg e tudo o que tocaram, foi gravado pelas mesas de som dos estúdios Twichenham e Apple. Tal fato resultou ao longo dos anos em uma impressionante profusão de CD’s piratas e coleções de discos totalmente dedicados a estas gravações, como é o caso da “Get Back Journal, vol. 1 e 2, Rock Movie Stars, The Complete Twichenham Sessions etc.

Quando porém, tudo levava a crer que nada mais de novo haveria de surgir sob os tetos de Twickenham/Apple, eis que 2 novas séries de discos aparecem no mercado, prometendo vida longa à pirataria beatle no tocante à essas gravações. A primeira coleção chama-se “Day By Day”, série ainda em formação, mas que já conta com 24 CDs duplos lançados e que documentam de forma nunca antes ouvida, o que ocorreu durante aquele janeiro de 1969. Está tudo lá, conversas, brigas, discussões, instruções dos operadores de som e música, muita música. “Day By Day” promete terminar com 65 Cd’s duplos. A outra série é chamada 30 Days, lançada pelo selo Vigotone, vem com 17 Cd’s, sendo 8 Cd’s duplos e 1 disco simples, livreto com notas sobre as faixas e fotos, e traz também os registros das gravações feitas pelo grupo em janeiro/69 em Twickenham e Apple Studios. O faz, porém, de uma maneira mais concisa. Limita-se a prestigiar as músicas, só mostrando aquilo que foi gravado de forma completa, ou seja, versões com começo , meio e fim, ainda que algumas durem apenas segundos.

Importante avisar no entanto para os fãs mais incautos, que todos os discos lançados pela pirataria e que documentam essas sessões, possuem aquilo que se convencionou chamar de “padrão Let It Be de qualidade” . Explicando melhor: gravações cheias de improviso, informalidade, muitas vezes em tom de ensaio, ainda que tal fato não desmereça em nada o valor das mesmas, pelo contrário. A série 30 Days primeiramente impressiona pela qualidade de som das faixas. Embora alguns takes já tenham aparecido em outros discos, tudo aqui parece estar com qualidade superior. Em seguida, chama a atenção a imensa quantidade de outtakes que nunca foram lançados em nenhum outro disco e que aqui fazem sua estréia.

E uma outra informação: pra quem quiser acompanhar cada take e Ter informações detalhadas sobre os mesmos, sugerimos adquirir um livro chamado “Get Back- The unathorized chronicles of Let It Be Disaster”, de um autor chamado Doug Sulpy ( já comentado em Dentro da Maçã na atualização no. 02). Isto porque todos os discos da série 30 days tem seu track list rigorosamente pautado de acordo com o indice desse livro. É essa série, caro leitor, importantissima para qualquer fã dos Beatles que deseja embrenhar-se pelos labirintos daqueles 30 dias de janeiro de 1969, que começamos a comentar a partir de agora. Detalharemos cada disco, cada take, ressaltando as novidades trazidas por cada CD e contando para os leitores um pouco do que aconteceu com os Fab Four, no decorrer daquelas gravações, às quais John Lennon um dia se referiu como “as mais miseráveis sessões de gravação da Terra”. Venha conosco e “feel the wind blow…”

Disc 1/2
No primeiro álbum duplo da série, estão registrados os primeiros dias (à exceção do dia 02/01/69) de gravação do projeto Get Back, estes ocorridos no Twickenham Studios, em Londres.

Disc 3/4
Continuam os registros das gravações do projeto “Get Back”, cujas gravações renderam momentos memoráveis, como uma versão de All Things Must Pass com John Lennon ao piano.

Disc 5/6
Primeiro álbum duplo da coleção 30 Days a documentar as gravações do grupo já nos estúdios Apple, e não mais em Twichenham. Músicas do “Let It Be” aparecem em várias versões.

Disc 7/8
Mais um álbum duplo dentro da coleção, mostrando o período entre os dias 24/01 e 27/01/1969, com Billy Preston nos teclados. No disco 2, dezenas de trechos de ensaios para a música “Let It Be”.

Disc 9/10
Talvez um dos volumes da série 30 Days com maior número de performances inéditas. Os discos cobrem basicamente os dias 26 e 27/01/69 e trazem a banda trabalhando básica e principalmente 3 canções: The Long and Winding Road, Get Back e Old Brown Shoe.

Disc 11/12
Gravações ocorridas entre os dias 27 e 29/01 nos estúdios Apple, incluindo algumas faixas que apareceriam no álbum Abbey Road.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s